Design 23 de fevereiro de 2016 | 2 comentários

Desde que o mundo conheceu os primeiros formatos físicos, como o vinil no final da década de 40, a necessidade por um projeto gráfico surgiu. O que seriam os Beatles e os Rolling Stones sem um grande projeto de identidade? Poucas pessoas pensam sobre, mas muitos mitos da música mundial nasceram em notas e acordes, mas se sustentaram com o poder das mídias gráficas.

The Beatles - Abbey Road (1969)

The Beatles – Abbey Road (1969)

 

Mas grandes bandas e artistas já têm seu tempo tomado com criação, pré-produção, pós-produção, turnês e todas as questões voltadas diretamente à música, e assim a busca por designers e artistas para o desenvolvimento de projetos gráficos se fez cada vez mais constante.
Neste contexto, situações engraçadinhas aconteceram. No mesmo ano em que os Beatles lançavam o álbum Abbey Road, Mick Jagger procurou o estudante da Escola Real de Artes de Londres (London’s Royal College of Arts) John Pasche, para que desenvolvesse o símbolo que seria a grande marca dos Rolling Stones, a partir de 1971.

John Pasche - Tongue and Lip Design (para os Rolling Stones)

John Pasche – Tongue and Lip Design (para os Rolling Stones)

 

Jagger encomendou um projeto que transmitisse os valores de transgressão e sexy. Devemos concordar que os objetivos foram cumpridos, se analisarmos o contexto político e cultural da época. O que não foi pedido, mas claramente foi incorporado ao projeto é a clara referência à boca extravagante do líder da banda, Mick Jagger. O mais surpreendente é pensar que um dos projetos gráficos mais reconhecidos e aplicados do mundo custou cerca de apenas U$50,00.

A indústria evoluiu e novos formatos surgiram com a intenção de baratear os custos de produção, tornando o trabalho de bandas e artistas cada vez mais acessível. em 1982 temos o lançamento do Compact Disc, ou simplesmente CD. Essa mudança assustou a maioria dos designers responsáveis pela criação, já que a área de trabalho diminuiria de 30x30cm para 12x12cm. Mas a história nos mostra que esses desafios foram superados. Este é o assunto da nossa próxima resenha, na próxima semana.
Vinícius Fonseca.

Curso 24 horas de CorelDRAW!